Quando se comemora uma conquista ou se celebra algo não pode faltar o brinde (tim – tim)! O Champagne  sempre está nesse momento. Bebida refrescante com características únicas por ter as famosas borbulhas (perlage) propicia para a gastronomia o diferencial do requinte e, acima de tudo, está relacionada sempre à felicidade! É fato que temos que comemorar sempre, pela vida, por nossas vidas, nossas vitórias e, por isso, existem diversos estilos de champagnes. Os do dia a dia são mais leves e ácidos, outros possuem sabores mais intensos e aromas lácteos (por causa do tempo de contato do champagne com as leveduras “ sur lie”), há os que são levemente adocicados… então podemos dizer que temos champagne para todas as ocasiões.

Nada mais irresistível que um brinde com espumante ou champagne e taças lindas como as da coleção Cidade da Garoa, da Oxford Crystal. Foto: Equipe Oxford.

Nada mais irresistível que um brinde com espumante ou champagne e taças lindas como as da coleção Cidade da Garoa, da Oxford Crystal. Foto: Equipe Oxford.

Mas, afinal de contas, qual a diferença entre champagne e espumante?

Vamos lá, a primeira é a região produtora, pois a bebida Champagne leva o nome da região onde se produz este célebre vinho espumante, sendo Epernay e Reims as principais cidades produtoras. Por se tratar de uma bebida com nome protegido, só podem ser chamadas (rotuladas) de Champagne as bebidas que forem produzidas na região que empresta seu nome e seguirem um rigoroso processo de fabricação. Isto é, as demais são espumantes! Por mais que sigam os mesmos processos de fabricação, não podem utilizar o nome de Champagne.

Somente podem ser chamadas de champagnes as bebidas produzidas na região de mesmo nome, localizada na França, e que seguem um rigoroso processo de fabricação. Foto: Henrique Peron.

Somente podem ser chamadas de champagnes as bebidas produzidas na região de mesmo nome, localizada na França, e que seguem um rigoroso processo de fabricação. Foto: Henrique Peron.

 

A segunda diferença entre a champagne e os espumantes são os tipos de uvas (castas) utilizadas na produção, pois mudam de acordo com o produtor e o terroir (fatores geoclimáticos) e produzem espumantes distintos um do outro. Então, podemos compreender que mudando o país produtor e de acordo com o seu clima e solo as castas cultivadas são diferentes umas das outras e, assim, podem surgir espumantes super distintos. Para produzir champagnes as uvas emblemáticas utilizadas são: Pinot Noir, Pinot Meunier e a Chardonnay. No caso dos espumantes, de acordo com o país produtor, se utiliza somente a Chardonnay. Enfim, cada produtor determinará seu “corte” ou a varietal para produzir um espumante de qualidade.

Taças de espumante da coleção Gota da Oxford Crystal.

Taças de espumante da coleção Gota da Oxford Crystal.

Método de produção do champagne e do espumante

A terceira diferença entre as duas bebidas está no método de produção. O Champagne sempre é produzido pelo método artesanal, isto é, conhecido no mundo do vinho como método champenoise, no qual a 2ª  fermentação da bebida ocorre dentro da própria garrafa. De tempos em tempos, o mestre de cave dá um giro de ¼ para desprender as leveduras que ficam grudadas na garrafa (remuage) e inclina a garrafa até ela ficar com o gargalo para baixo. O tempo mínimo da 2ª fermentação em garrafa é de 12 meses, mas algumas bebidas podem superar mais de 10 anos nessa fase.

Também existem espumantes do tipo Rosé. Taças da coleção 517 Classic da Oxford Crystal.

Também existem espumantes do tipo Rosé. Taças da coleção 517 Classic da Oxford Crystal.

 

Após esse período, é feito o processo de dégorgement, que tem o objetivo de retirar as borras da fermentação geradas. Congelando rapidamente o gargalo e abrindo a tampa metálica gera-se uma pressão dentro da garrafa que expele a impurezas. Após, é adicionado o licor de expedição, que irá definir sua classificação do Brut Nature, Extra Brut, Brut, Demi-Séc, ou Doux (Doce). Também existe o processo de produção chamado Charmat, no qual os espumantes são produzidos – todas as fases – em tonéis de inox e envasados, isto é, totalmente mecanizado. Isso difere do processo manual dos Champagnes e torna as bebidas bem distintas umas das outras em análise sensorial.

 

Brinde a vida, as nossas conquistas e realizações! Tim tim!

Veja mais