Raphaell Valença foi o primeiro vencedor do Prêmio Oxford de Design, no ano de 2015. Desde então, muita coisa mudou na vida do Raphaell e nesse ano ele fez parte do júri que elegeu 20 finalistas do concurso. O vencedor bateu um papo com o Puxe Uma Cadeira, confira!

Imagem: Raphaell Valença, vencedor da primeira edição do Prêmio Oxford de Design.

Raphaell Valença, vencedor da primeira edição do Prêmio Oxford de Design.

Entrevista com Raphaell Valença

Fala um pouquinho da tua participação no Prêmio Oxford de Design, como foi?

Foi uma experiência única que me trouxe muita coisa bacana. Realização pessoal, a oportunidade de ver um produto que criei sendo produzido e comercializado, melhor conhecimento da Oxford e seu modo de produção/indústria que é incrível e também houve bastante divulgação do meu trabalho. Com o prêmio tive a oportunidade de mostrar um pouco da cultura do meu estado (Sergipe) para o resto do país. O saldo foi super positivo.

Imagem: Coleção Marcas de um Povo, vencedora do POD 2015, criação de Raphaell Valença. A inspiração veio da tradicional festa dos Lambe-sujos e Caboclinhos, realizada anualmente, no segundo domingo de outubro, no município histórico de Laranjeiras e em Itaporanga d’Ajuda, e que remonta ao período do Brasil Colônia. A festa representa a luta entre negros dos quilombos – os 'Lambe-Sujos' – contra os índios – os 'Caboclinhos' – mandados pelos brancos para destruir os quilombos.

Coleção Marcas de um Povo, vencedora do POD 2015, criação de Raphaell Valença. A inspiração veio da tradicional festa dos Lambe-sujos e Caboclinhos, realizada anualmente, no segundo domingo de outubro, no município histórico de Laranjeiras e em Itaporanga d’Ajuda, e que remonta ao período do Brasil Colônia. A festa representa a luta entre negros dos quilombos – os ‘Lambe-Sujos’ – contra os índios – os ‘Caboclinhos’ – mandados pelos brancos para destruir os quilombos.

 

O que mudou depois do prêmio?

Pude perceber que após o prêmio muitas portas se abriram (profissionalmente e pessoalmente) e ainda hoje escuto comentários e questionamentos de várias pessoas que de alguma forma foram alcançadas por ele. A repercussão foi muito grande e sou muito grato por ter tido essa oportunidade.

 

O que você faz hoje? Quais são seus principais projetos?

Hoje trabalho na equipe de criação de um escritório de arquitetura. Atuamos em várias tipologias de projetos, desde residenciais e comerciais a hotelaria e cenografia, estou aprendendo bastante lá. Também estudo espanhol e quero planejar uma viagem de férias com meus amigos.

O Prêmio Oxford de Design 2018

O que você achou do tema desse ano que era “O folclore ao redor do mundo: o encontro da imaginação com a arte”?

Vi nesse tema uma ótima oportunidade de conhecer o folclore de diversos lugares que talvez nunca tenha ouvido falar. É um tema muito rico e com muita coisa a ser explorada, tanto esteticamente quanto conceitualmente!

 

O que uma arte deve ter pra te encantar?

Para mim, uma arte que se destaca dentre tantas é aquela que além do apelo estético também tem uma história bacana e bem embasada por trás. Gosto de saber o porquê das ideias, e de ver o sentido resumido no produto final. E se consigo aprender ou conhecer algo que não sabia ou conhecia nesse processo, melhor ainda!

 

O Prêmio Oxford de Design foi finalizado no dia 28 de setembro e já teve seus vencedores divulgados. Acesse o site e confira.

Veja mais